Kangibrina

Não gosta de Big Brother? Então não assista, cazzo!

31 01.2012
Por Denis Zanini Lima [ postado às 10:51 ]

Está rolando no Facebook uma campanha que almeja chegar a 1 milhão de compartilhamentos com o nobre propósito de tirar o Big Brother Brasil do ar.

Sim, uma espécie de abaixo-assinado virtual para que a Dona Globo exclua da sua grade um dos programas mais lucrativos que possui, com empresas na fila de espera para patrocinar a bagaça.

Nunca assisti mais do que uns míseros minutos de Big Brother, creio que no ano de estréia. Lembro que durante a maior parte do tempo mostraram uns caras correndo em esteiras e umas minas cochichando perto da piscina (ou será que foi na Casa dos Artistas? Putz, não lembro…)

Achei uma das coisas mais modorrentas do mundo, assim como considero modorrenta 99% da programação televisiva.

A exemplo do BBB, não gosto de novelas, esses seriados sobrenaturais ou que ficam expondo cadáveres, programas de auditório, a grande maioria dos telejornais, etc, etc, etc.

E sabe o que eu faço quando está passando algo que não gosto? Eu não assisto. Simples, não? Hoje, meu amigo, na TV fechada ou aberta, há opções para todos. Não precisa estressar por causa de um programinha sazonal.

Basicamente, minha predileção consiste em futebol e sitcoms, e um filminho às vezes para ajudar a pegar no sono.

Isso me faz ser uma pessoa melhor do que quem assiste os Big Brothers da vida? Lógico que não. E isso me faz ter o direito de exigir que quem curte essa aporrinhação seja privado disso? Também não.

Eu me ponho do outro lado. Ficaria muito puto se, de uma hora para outra, parassem de passar The Big Bang Theory ou Family Guy porque houve uma manifestação de revoltadinhos na internet.

Pergunto aos signatários do movimento: vamos considerar a insólita hipótese de que a Globo, sensibilizada com essa manifestação popular, consultasse-os sobre o que querem que ela transmita.

O que será que as pessoas pediriam? Mais uma telenovela (bem provável, hein)? Um enlatado americano dublado? Apresentações da Osesp na Sala São Paulo? Transmissões de debates sobre a influência de Kant na filosofia moderna? Documentários sobre suricatas (ôpa, esse eu assistiria, adoro esses bichinhos)?

É bem provável que, atendendo ao desejo da maioria, a Globo colocasse no lugar programa tão ruim quanto. E vocês assistiriam? Alguns sim, outros não,  e os que não tiveram sua vontade atendida certamente iriam xingar no Twitter ou fazer uma manifestação no Facebook.

No mesmo horário do BBB, há dezenas de outros programas passando. Será que nenhum atende ao gosto de quem não aceita esse maldito reality?

TV é business, manolo. Se o programa dá audiência e tem patrocinadores, fica no ar, por pior que seja. A ideia de boicotar os patrocinadores do programa, como outros facers tem sugerido, tem até mais sentido. Mas vale lembrar que há diversas outras empresas loucas para conseguir uma cota.

Portanto, até que a fórmula do BBB se esgote e ninguém mais queira vê-lo, mude de canal, vá estudar (recomendo), brincar com seu filho(a)(s), andar de bicicleta, beber com os amigos, transar com sua namorada(o), jogar futebol, desenvolver projetos, escrever no seu blog, trabalhar, jogar conversa fora pelo MSN…

Garanto que será muito mais útil do que promover ou apoiar manifestações inócuas no Facebook.

compartilhe:
Share
1 comentário