Kangibrina

Pirataria no Windows dos outros é refresco

17 03.2011
Por Denis Zanini Lima [ postado às 10:01 ]

A cena todo mundo conhece: você está na sala de cinema e antes de começarem os trailers são exibidas propagandas de combate à pirataria.

As empresas e associações cinematográficas e de todos os outros segmentos estão certas em proteger o seu mercado da ação de aproveitadores.

É um trabalho hercúleo, de difícil combate, e que precisa contar fundamentalmente com o engajamento do consumidor.

Somente ele pode determinar o fim desta prática.

E para isso o consumidor precisa ser convencido que não vale a pena comprar produtos piratas, por mais baratos que sejam.

A primeira a dar e ser o exemplo precisa ser a própria empresa que combate a pirataria.

Mas nem sempre isso acontece.

Vejam, por exemplo, o Cinemark.

No último final de semana, nosso querido leitor @sergiorossi26 fez o flagrante acima no Cinemark do Shopping Higienópolis.

Isso mesmo: a lanchonete do cinema usa WINDOWS PIRATA!

Irônico, não?

Para o Cinemark, piratear filme é ilegal, mas piratear software, tudo bem?

É, meu amigo, como diria minha tia Gioconda: casa de ferreiro, espeto de pau.

compartilhe:
Share
Nenhum comentário