Kangibrina

Faveco, o mestre de Leonardo DiCaprio

13 10.2010
Por Denis Zanini Lima [ postado às 16:33 ]

A Origem, de Christopher Nolan, é um dos melhores filmes dos últimos anos.

Tem ritmo, elenco, imaginação, beleza.

Para não dar uma de spoiler e estragar a festa de quem ainda não viu, só vou dizer, para embasar este post, que a história gira em torno de como inserir idéias nas cabeças das pessoas, entrando nos sonhos delas, aproveitando, por exemplo, quando estão dormindo durante um vôo internacional.

Original, não?

Não. Não é não.

Saibam vocês que décadas antes de Leonardo de Caprio sair por aí inserindo insights na cachola alheia, o veterano publicitário e jornalista Flávio Correa, o Faveco, ex-presidente da Ogilvy, já utilizava expediente muito semelhante ao do filme para obter o que queria.

Mas como, tio? Como???

Calma, guri.

O tio explica.

Em recente palestra na ESPM para promover o livro Curto & Grosso, Faveco contou histórias pitorescas sobre a publicidade no Brasil.

Um dos causos mais interessantes foi como ele conseguiu a cobiçada conta da Mercedes-Benz.

Como não conseguia agendar reunião com o presidente da montadora para mostrar seu trabalho, ele resolveu adotar uma tática diferente.

Por meio de um conhecido de dentro da montadora, ele ficava sabendo quando o presidente ia viajar para a Alemanha.

Com essa informação, ele comprava uma passagem no mesmo vôo, numa cadeira ao lado ou próxima.

Com sua imensa facilidade em puxar assunto e fazer amizades e tendo à sua disposição 10 horas para isso, Faveco foi aos poucos ganhando a confiança do fulano.

Fez isso algumas vezes e acabou conseguindo agendar uma reunião com o presidente e, mais tarde, faturou a conta.

E um detalhe interessante: Faveco chegava ao aeroporto de Frankfurt, despedia-se do presidente, e depois já tomava o vôo de volta.

Ele fez isso só para conseguir a conta.

Brilhante, não?

Uma verdadeira aula de ousadia, criatividade e persistência.

E sem ter que perturbar o sono de ninguém…