Kangibrina

Vaccines lança clip feito com fotos do Instagram

09 10.2011
Por Denis Zanini Lima [ postado às 15:21 ]

A banda inglesa The Vaccines acaba de lançar um videoclip da música Wetsuit feito com imagens enviadas pelos fãs pelo Instagram.

As fotos foram tiradas durante festivais em que a banda esteve presente no último verão europeu e postadas no aplicativo com a hastag #vaccinesvideo.

A todo participaram da campanha mais de 3 mil fotos, enviadas de 99 países.

O Instagram é um aplicativo para iPhone que permite o compartilhamento e customização de fotos através de botões de filtros.

A rede social mobile, que acaba de completar 1 anos, já conta com 10 milhões de usuários e 250 milhões de fotos.

Top 5 – Fatos e estatísticas sobre o mundo de Instagram

26 05.2011
Por Denis Zanini Lima [ postado às 17:29 ]

Depois de alguns meses explorando essa magnífica ferramenta, cheguei à conclusões deveras interessantes, as quais gostaria de compartilhar com vocês:

1) 97,4% dos instagramers têm gatos ou cachorros. Ou ambos;

2) De cada 5 usuários, 10 tomam café no Starbucks. Mais de uma vez ao dia;

3) Quem não tem tatuagem ainda fará uma;

4) 1 babaca viciado em grafite gosta de tirar foto de parede para montar um tal de o projeto #grafit.am

5) Todas as mulheres saem gostosas nas fotos. Todas.

Instagram, Daniella Rosário e o futuro da fotografia

12 04.2011
Por Denis Zanini Lima [ postado às 14:35 ]

Sempre fui um fotógrafo medíocre, admito.

Mesmo tendo cursado um semestre da nobre arte na faculdade, mesmo que a máquina em minhas mãos seja um Canon e mesmo que as condições climáticas estejam perfeitas, minhas imagens sempre deixam a desejar.

Por isso, quando descobri o Instagram, foi paixão à primeira vista.

O aplicativo, gratuito e fácil de usar, que você instala no iPhone, dispõe de filtros que conseguem transformar imagens aparentemente sem graça em algo, no mínimo, interessante.

E o melhor: permite ter contato com fotos de outras pessoas, do mundo inteiro, que sabem bem a receita do quindim.

Uma delas, que conhecia via Instagram, é a fotógrafa Daniella Rosário, de Ribeirão Preto.

Com mais de 12 mil seguidores, seu portfólio é impressionante e eclético, reunindo imagens de grande beleza.

Por conta de sua experiência profissional e popularidade, o Kangibrina resolveu entrevistá-la para saber sua opinião sobre esse aplicativo que está revolucionando a forma de obter e compartilhar fotos.

Desde quando você usa o Instagram? Na sua avaliação, quais as principais virtudes do aplicativo?
Uso o Instagram desde Dezembro de 2010, quando comprei o iPhone. Acho o Instagram fantástico como meio de comunicação visual, através dele podemos compartilhar fotos com o mundo todo. Tenho site, já fiz varias exposições, matérias em revistas, TV, mas nenhuma mídia até hoje abriu um universo tão grande de interatividade de fotos como o Instagram.

Você acha que o aplicativo pode ser usado profissionalmente por fotógrafos, em trabalhos no cotidiano?
Sim, acredito e isto já vem acontecendo. A App Store tem vários aplicativos e filtros, uns com um resolução melhor, ou seja, cópias em formatos maiores, com o Instagram isto ainda nao acontece, a ampliação maior que se consegue é 20x20cm. Eu faço backup das minhas fotos e vou imprimir meus livros, com fotos em diversos tamanhos, acho charmoso e atraente fotos menores, tipo polaroid e pretendo fazer um trabalho autoral só com o iPhone de moda ou retrato, em Preto e Branco.

Suas fotos são sempre muito comentadas e elogiadas no Instagram, por gente do mundo inteiro. Qual o critério de escolha das fotos? Você tira várias na hora e depois vê a que ficou melhor para publicá-las, ou você prioriza a espontaneidade?
Obrigada, nem todas minhas fotos foram feitas pelo iPhone. Sou fotógrafa há 20 anos e tenho ensaios em Preto e Branco que gosto muito. Como disse, o iPhone abriu portas pra que eu possa mostrar ao mundo minhas fotos, não vejo problema em compartilhar estas fotos, pelo contrário, acho que é um instrumento precioso pra fotógrafos do mundo todo, com o Instagram eu mostro o que tenho de melhor e também aprendo muito. Além dos meus ensaios autorais fotografados com o iPhone, gosto de fotografar na rua, adoro este mix de arte com fotojornalismo, tipo Cartier Bresson, fotos espontâneas, este é o meu forte. O critério de escolha é como eu fazia com os filmes, escolho as fotos que gosto, uso filtros se necessário e priorizo, sim, a espontaneidade. A única coisa que me intimida é fotografar nas ruas daqui, tenho medo de assalto e da reação das pessoas, fiz ensaios em Paris e Nova York e senti uma sensação de liberdade incrível, que aqui não tenho, lá sim consegui fotografar sem preocupação.

Você já recebeu propostas de trabalho por quem viu suas fotos pelo Instagram? Acredita que isso possa se tornar comum?
Não, mas acredito em muitas coisas vindas do Instagram, ele ainda é uma criança, imagine daqui uns anos.

Das pessoas que você segue no Instragram, quais você destaca?
Os fotógrafos favoritos são aqueles que fotografam na rua, fotos de gente, no dia a dia, e principalmente, em Preto e Branco, como o ensaio que fiz em Nova York, sou fã do THOMAS KA, OJI OJI, SION FULLANA, EROS_SANTANA, SHELSERKIN,EARLYADOPTER,XXXYXYZ, JEREMY RUE, TIMCADMAN,TIM_OB, ANTON_IN_NYC, NZPHOTO , RICHNYC….difícil dizer, tem muita gente boa, aqui no Brasil também.

Você tem mais de 12 mil seguidores, um número bem expressivo, principalmente levando-se em conta que é um aplicativo novo. Qual o segredo para ter tantos seguidores?
O Instagram virou meu vício, eu vejo foto o dia inteiro, do mundo inteiro e sigo muita gente, da mesma forma, fotografo bastante, me preocupo com a qualidade das minhas fotos. No Instagram tem de tudo, fotógrafos profissionais, amadores, gente que  nunca fotografou … vejo muita coisa repetida, sem a menor preocupaçao com a luz, enquadramento, etc mas faz parte do universo do Instagram, ali tudo pode, todos têm o direito de fotografar e eu sei que tem público pra fotos artisticas, fine art, de gente que fotografou a vida toda, é pra este publico é que posto minhas fotos. Acho que as pessoas me seguem porque gostam das minhas fotos, não tem outra explicação, acredito eu, e isto me incentiva a fotografar cada vez mais e melhor, por onde olho vejo fotografia, observo a luz, as pessoas, vejo foto em tudo.

7) Quais os seus filtros favoritos?
CAMERA +, INFINICAM, PRO HDR , 100 CAMERAS… tô sempre testando novos filtros. Fiz muitas fotos coloridas em HDR no iPhone mas minha paixão é o clássico Preto e Branco. Tive laboratório Preto e Branco por vários anos… revelava e ampliava minhas fotos feitas em filme e com os aplicativos da pra fazer imagens lindas , com vinhetas, grão, contraste, infinidades de escolhas.

Você acredita que os celulares atuais, que vêm com máquinas fotográficas cada vez melhores, aliadas a aplicativos como o Instagram, vão tornar as máquinas fotográficas comuns obsoletas?
Quando surgiu a máquina digital confesso que fiquei irritada, não gostava do resultado, nao queria parar de fotografar com filmes, hoje não me imagino fotografando sem ser com a digital (ou o iPhone, risos). Eu não sei porque juntaram telefone com fotografia. Vc sabe? Eu quase nao uso meu iPhone para ligações, quase só pra fotografia.

De onde vem sua predileção por rosas, que aparecem nas suas tatoos?
Minhas tatuagens são recentes, fiz uma, gostei tanto, fiz o resto. Eu nao gosto de misturar muitas coisas, assuntos, e rosa sempre gostei, resolvi um tema para meu corpo, rosas! Acho feminino, delicado, romântico….

Você tem amigos fotógrafos que também usam o Instagram? Em geral, qual a opinião deles sobre a ferramenta?
Hum, risos. Os que me apresentaram o Instagram me criticam. Eu não gosto de regras quando o assunto é arte, fotografia… acredito na liberdade de expressão e não me importa se a foto foi feita em uma DSLR ou em um iPhone. Me criticam pelo número de pessoas que sigo, pela quantidade de fotos que posto diariamente e “dos milhares dos seguidores falando, falando e não dizendo nada”. Dá pra entender isto?? Eu amo e leio todos os comentários que postam nas minhas fotos, é isto que me faz motivada a sempre fotografar cada vez mais, tenho nas minhas mãos um instrumento que leva minhas fotos pro mundo inteiro, coisa que jamais conseguiria de outra forma, se minhas fotos fossem ruins, sem graça ou cansativas, as pessoas não me seguiriam e não me elogiariam, então, é o seguinte, vou continuar a fotografar com iPhone, com minha digital, postar quantas fotos quiser e fazer cada vez mais contato com os fotógrafos do mundo todo, é pra isto que existe a tecnologia e  evolução, quem não segue fica pra trás, o que me importa é eu ter liberdade de fazer o que gosto e ser reconhecida por isto. O Instagram foi a melhor coisa que me aconteceu neste ano, tô amando tudo isto!